segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Momento em poesia



Momento em poesia
Rodrigo Moreira Campos (Led) - 24/11/2016

E do poeta, seu coração,
Jamais conhecerá a calmaria.
Quando é do fogo da paixão
Que brota mais uma poesia

E no dia de vida mais contida
Me chega ela, così bella ragazza
Do fogo de Vênus embebida
E meu olhar no dela se encaixa

Aquela noite despretensiosa,
Ela preencheu de travessuras
Fez da galáxia toda nossa,
Marcou tudo com sua assinatura.

Nas suas coxas me fiz eterno
Envolto em prazer absoluto
Fazendo de nos, um só ser etéreo
Que em único momento, conquista o mundo

Após voluptuosa aventura
Nos batizamos na maresia
E o poeta ressurge mais vivo
Com você, minha mais nova poesia

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Poesia em alto-mar



Poesia em alto-mar
Rodrigo Moreira Campos (Led) - 27/09/2016

Do mar, a mais bela poesia, o vento soprou
minha pele e minha alma ela atingia.
Mas como toda brisa que o calor abrevia
Se foi logo depois que me refrescou.

Do mar o vento trouxe um gostoso sorriso
Me arrancou suspiros, me fez criança
Em sonho vivi uma linda dança
Ao acordar estava só e indeciso.

Do mar o vento sopra e o meu coração incendeia,
E por suas curvas, navego desejoso
Os corpos se tocam num gesto caloroso
Mas a maré me empurra de volta à areia

Do mar o vento trouxe doces momentos
Quis, eu, nos eternizar em poesia
Mas ela, pelo Mar ia, e partia
Toda deusa tem seu próprio movimento.

Não satisfeito, preparo minha caravela
Estudo a maré e o vento perfeito
Que me deixará mais próximo de seu leito
Para que eu faça uma só poesia... minha e dela.

No caminho da luta



No caminho da luta
Rodrigo Moreira Campos (Led) - 09/09/2016

No estouro da bomba inimiga,
Meu sangue ferve
E o corpo é tomado
Por desejo de transformação!

O ambiente é de luta,
Mas na luta tem rosas,
Tem ela... tão bela e tão forte!
Me inspirando versos de pura revolução.

Nossas mãos se agarram
Protegem-se mutuamente
Unindo forças
Para acabar com a opressão!

Seus olhos brilham,
Me levam ao infinito
Como quando o horizonte da praia fito
Suspirando por um futuro de libertação!

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Motor da História



Motor da História
Rodrigo Moreira Campos (Led) - 24/06/2016

O seu golpe pode nos ferir,
Mas sempre será temporário
Continuaremos de pé, em todo lugar.

Em seu exército,
Somos o soldado rebelde
Que resiste e não obedece
A ordem de atacar seu irmão

Na sua justiça corrupta,
Somos o advogado que se engaja
Estuda e se dedica
Para defender a causa
de quem luta e trabalha

Na sua escola que modela
Somos a voz daquele professor
que transforma aluno em estudante
De passivo em um agente transformador

Somos também o estudante
Que foge da fôrma e toma as ruas
Pintando as cores de um mundo novo

Na sua economia,
Somos quem opera a máquina
Veja a ironia!
Não pode nos parar jamais
E nosso fim é destruir o motor de sua injustiça.

Seu golpe para nós,
Sempre será temporário

Em nossas veias
corre o sangue do operário
Vermelho, da cor de nossa luta!

Na mente trazemos
O dourado da foice e do martelo
A união dos trabalhadores
Que ilumina o nosso futuro

Seu golpe pode nos atrasar
Mas sempre será temporário

Somos a força motriz de sua sociedade
Somos também
O motor da própria história
E o que nos move
É a chama da revolução!

domingo, 12 de junho de 2016

Forasteira



Forasteira
Rodrigo Moreira Campos (Led) - 12/06/16

 Meio ao escuro da solidão,
Ela, forasteira,
Furtivamente acende a luz.

Meus olhos se abrem,
A fitam em festa
E enamoram seu olhar.

E nesta noite bárbara,
De fora, toca minha alma
E com as coxas, laça meu corpo.

Meio ao escuro da noite,
Ela, forasteira,
Faz de seu sorriso, meu farol.

E na volúpia de seu cheiro
O poeta renasce,
Romanceando a vida.

Perco-me em sua alma,
Esqueço passado, esqueço futuro,
Totalizo o agora, nela.

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Bela, recatada e do lar



Bela, recatada e do lar
Rodrigo Moreira Campos (Led) - 26/04/2016

Bela, recatada e do lar
Bela, de luta e do bar
Linda, desbocada e da luta
Mulher, dona de si como ela quiser.

Negra, loira,
índia ou oriental
Magra, sarada ou gorda
Uma beleza fenomenal.

Pois o mais belo do ser
não sai da forma, nem do padrão moral

Mas...
por mais que eu ame suas curvas
O mais lindo está na essência
Na ousadia de quem esteve
Na fogueira e na presidência

Mulher,
A primeira revolução tem a sua marca
Também foi a primeira a ser escravizada
E por toda sua história,
De burca ou de shortinho deve ser respeitada

E ela,
Recatada, desbocada ou ousada
Do lar, do bar ou da luta
É sempre mulher, é sempre bela, é dela!