quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Nosso Carnaval



Nosso Carnaval

 “Ao grupo do Velho Buk”
Rodrigo Moreira Campos (Led) - 06/01/2016


 Dos pixels do mundo virtual
Nasce um grupo
que em minhas loucuras se tornava real

O maestro é o velho safado
Ele trás a combustão do álcool
E não deixa a poesia parar
Alimentando-nos com os versos mais ousados

E a galera agita
Formando um belo bar
Às vezes o grupo hiberna
Também há ressaca nessa taverna.

E nesse grupo, nesse boteco,
Tem cada personalidade,
Tem eu, o Led.
Que nem poeta sou de verdade.
Brinco com as palavras e versos,
Chapo, gozo, sonho... fujo da realidade

Tem a Mini, nossa ninfetinha
Que posa para as fotos do velho Buk,
Sai cada pintura...
Toda pequena, toda delícinha.

Entre a malícia e a inocência,
Se faz uma grande poetisa,
E em nossos ouvidos,
Canta os versos mais picantes.
E enlouquece nossos sentidos

Tem o Frugis, cabra ousado
Do velho bebe, sua maestria
E nas cordas do violão
Transforma o pornográfico na mais bela poesia

O que dizer da Fê, as curvas mais belas,
Olhar profundo, lábios carnudos.
Se fossemos o Olimpo, Afrodite seria ela,
Em seu caminho as flores nascem
A paixão exala e nos deixa mudo.

E o Samuca, nosso bohêmio,
Chapa e sonha com mais uma amada,
Parceiro de copo, grandes conversas
Com ele o boteco nunca desanimava.

Tem também a Carlinha, nossa musa discreta.
Sua vida é um livro de contos excitantes.
Em suas viagens por onde passa
Ela ama, ela goza, ela vive
Nos ensinando a curtir a vida em modo incessante.

E o Brunão, apóstolo do Buk
Como Apolo sempre atuante
Enche de paixão as mais belas meninas
Me apresentou ao querido Velho.
E faz até uma igreja
Tornar-se nossa capela libertina

Tem ainda Doni e Giba
Que só aparecem quando estão chapados.
Brincam, conversam, curtem...
Depois caminham até o bar do lado.

Tudo isso aconteceu
Lá no mundo virtual.
Mais sonho com essa galera,
se encontrando num grande carnaval,

Uma suruba de poesias,
Conversas, risadas e um brinde ao nosso Velho.
Contagiando o mundo em volta
Expelindo amor e rebeldia.

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Negro sorriso



Negro sorriso
Rodrigo Moreira Campos (Led) - 24/11/2015

 Na felicidade
De uma noite entre amigos,
No vai e vem
Das conversas embebidas em alegria

Como um farol luminoso
Algo me chama a atenção
Era o brilho daquele sorriso...
daquela menina, daquela mulher,
Mulher negra!

Negra de luta,
Negra de sonhos,
Negra de alegria!

"O tempo não para"
Mas para mim parou!
Minha órbita era seu sorriso
Meu objetivo era seu olhar

Adocicado pela cerveja,
Maliciado pela travessura
A noite seguia
Desejoso pela volúpia
daquela negra beleza brasileira!

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Em ondas



Em ondas
Rodrigo Moreira Campos (Led) - Set/2015

Um vendaval de otimismo em súbito veste meu corpo
Das águas passadas restam eu,
Formado...
Entre os caminhos da santidade e do prostíbulo.
Entre a responsabilidade e o hedonismo.

Quando bato de frente com o paraíso
Sei que ao lado fica o inferno...
Sigo as trilhas mais tortuosas
Perpassando os dois mundos
Nada eu seria sem sentir o queimar da lava
E o ferver dos pecados mais voluptuosos

Malícia e ingenuidade;
Equilíbrio, pecado, exagero e culpa;
Êxtase e depressão;
Receitas de uma vida intensa...

A luz brilha mais forte depois de um tempo preso à escuridão.

Voltas



Voltas
Rodrigo Moreira Campos (Led) - 1º semestre 2015

 Às vezes eu penso em escrever um poema
Aí eu lembro
Eu já escrevi esse poema
Em algum momento deste círculo!

Esse sabor de cerveja eu já conheço
Essas lágrimas já escorreram por aqui
Essas pernas já me laçaram
E eu, outra vez, busco a mesma sensação

As vezes penso em chorar,
Mais agora isso me parece tão vulgar
Como fazer da vida uma novela
E de gota, numa onda querer se transformar

Às vezes, eu às vezes
Às vezes sou feliz
Mas somente às vezes

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Menina, mulher!



Menina, mulher!
Rodrigo Moreira Campos (Led) - 25/07/2014
(Poema extraído do meu conto, "Sensações")

Como menina espio seu corpo nu,
Sua liberdade, vestido com as águas do mar,
Contagio-me com sua energia,
Com sua brincadeira!

Como mulher transformo-me
Em uma voyeur de seu corpo
Excito-me, te admiro, te desejo...
Sonho...
Com seus pelos massageando minha pele macia,
Com suas mãos explorando meu corpo!

Laço-te com minhas pernas,
Te puxo pra dentro de mim,
Pra que faça de meu corpo o seu templo
E em um ritual sacro me explore inteira com sua língua!

Quero sentir o calor umedecido de sua boca na minha
Em meu pescoço, desfrutando meus seios,
Quero-te em minhas coxas,
Em minha vulva,
Brincando com meu clitóris
Enquanto fervo como um vulcão!

Vou te beber, sentir o teu gosto,
Provocar-te, excitar-te.
Testar vários encaixes,
Sentir nossos corpos se conhecendo...
em cada centímetro...

Vamos juntos, explodir de prazer!
Nos amar no máximo ardor!
Beijemos,
Para que satisfeita eu busque seus braços
E em seu peito protetor durma como sua menina!

Sonhando



Sonhando
Rodrigo Moreira Campos (Led) - 30/08/2014


Essa noite estive acompanhado, 
Não de uma pessoa apenas, mas de um brilho no olhar! 
Que me rejuvenesceu e trouxe uma imensa vontade de viver!

 Essa noite estive acompanhado, 
Não simplesmente de alguém,
 Mas de um sorriso, 
Que me levou para os cantos mais lindos da imaginação 

 Essa noite eu vivi de novo, 
Navegando pelos sonhos das curvas mais belas 
Imaginando como seria sermos um do outro. 

 Talvez nem a veja mais, 
A noite prega peças! 
Mas te ver e conhecer fez de mim um menino ou um deus 
Que sonha e suspira, 
Que vive intensamente um único segundo sentindo o seu cheiro!